0

O censo agropecuário vem aí

*Adacir Reis

O agronegócio é um setor que tem inegável protagonismo na economia nacional, daí a relevância de eventos como a 55ª Expo Rio Preto, que se realizará em outubro próximo. Considerando a pujança do agronegócio, as informações estatísticas sobre tal setor precisam ser revistas e atualizadas.

 

Antes de deixar a presidência do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE e assumir o comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, o economista Paulo Rabello de Castro plantou uma boa semente para o agronegócio: conseguiu viabilizar a estruturação do Censo Agropecuário, que será realizado entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018.

 

Estima-se que haja no Brasil mais de 5 milhões de propriedades rurais. Por meio do Censo Agropecuário 2017 será possível a coleta de informações sobre a agropecuária, florestas, criação de peixes, práticas agrícolas, uso do solo e de tecnologias, relações laborais, perfis de renda e outros itens, objetivando a construção de diagnósticos e políticas públicas para a agropecuária e setores a ela ligados, especialmente em tempos de escassez de recursos orçamentários.

 

A Emenda Constitucional 95, de 2016, ao fixar um teto global para os gastos públicos federais, criou um novo parâmetro para a Administração Pública, o que dever acirrar, nos próximos anos, os conflitos distributivos em torno do Orçamento Geral da União.

 

A própria realização do Censo Agropecuário 2017 deve ser considerada uma vitória do agronegócio, tendo em vista que, em razão dos custos envolvidos e dos cortes orçamentários, sua realização quase foi novamente adiada.

 

Lideranças do Ministério da Agricultura, do IBGE e de expressivas entidades de representação do agronegócio consideram que é fundamental a participação e a cooperação de todos os produtores rurais para que tal levantamento de dados tenha sucesso.

 

Nos Estados Unidos o primeiro censo agropecuário foi feito em 1840 e é realizado, de forma planejada, a cada cinco anos. As informações coletadas periodicamente entre os produtores rurais naquele país são essenciais para a elaboração da Farm Bill, que é uma legislação aprovada pelo Congresso, também a cada cinco anos, para o setor agropecuário norte-americano. O lema da pesquisa que deve ocorrer nos Estados Unidos neste ano é: “Agricensus: sua voz, seu futuro, sua oportunidade”.

 

O Censo Agropecuário brasileiro também pretende dar voz ao produtor rural, sendo uma oportunidade para ajudar na construção do amanhã, com a coleta de informações que serão consolidadas a partir de diversos filtros, assegurado o sigilo dos dados personalizados. Tais informações serão também importantes para a definição de investimentos pelos atores privados do agronegócio, além de subsidiar a produção acadêmica nas universidades.

 

A informação correta é o primeiro dos insumos para todo processo decisório, seja na gestão de um negócio, seja na condução de políticas voltadas para o fomento da atividade agrícola. É o que na literatura jurídica costuma se chamar de “princípio da decisão informada”.

 

Em um país continental como o nosso, o Censo Agropecuário pretende ser uma grande oportunidade para que não só o Governo Federal, mas também Estados, Municípios e organizações produtivas possam conhecer melhor o agronegócio brasileiro.

 

 

*Adacir Reis é advogado e presidente do Instituto San Tiago Dantas de Direito e Economia. Foi membro da Comissão de Juristas do Senado Federal para a Reforma da Lei de Arbitragem e Mediação. É sócio do Escritório Reis, Tôrres, Florêncio, Corrêa e Oliveira Advocacia.

 

Fonte:

adacir-diario-da-regiao-

 

 

Diário da Região – São José do Rio Preto, 19 de setembro de 2017

Adacir Reis

Adacir Reis

Adacir Reis

Adacir Reis

Adacir Reis

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

1 × um =